Domingo , 22 Setembro 2019
Home / Cotidiano / Verão se aproxima e escorpiões começam a aparecer

Verão se aproxima e escorpiões começam a aparecer

Fiscal sanitário orienta população sobre procedimentos para eliminar possíveis criadouros.

mario-arthur-favreto-fiscal-sanitario-da-vigilancia-sanitaria-municipal
Mario Arthur Favretto

Embora não tenham sido identificadas espécies que podem ser consideradas letais em Campos Novos, o aparecimento de escorpiões já está preocupando a comunidade camponovense. Nos últimos dias foi encontrado o invertebrado no muro da Escola Henrique Rupp Júnior e o registro foi feito em rede social.

O fato foi levado pela direção da escola junto à Vigilância Sanitária. Além desse registro, outros moradores também já acionaram o órgão informando sobre o aparecimento de escorpiões na cidade.

O fiscal sanitário da Vigilância Sanitária Municipal, Mario Arthur Favretto, explica que com a proximidade do verão, é comum o aparecimento de invertebrados e insetos. “Geralmente agora no verão com o aumento das temperaturas, aumenta o aparecimento de insetos e de invertebrados em geral, como os escorpiões, porque a temperatura do corpo deles varia conforme a temperatura do meio ambiente. Se a temperatura aumenta, há mais deslocamentos e fica mais fácil das pessoas encontrarem eles”, explicou.

OKCom o risco maior do aparecimento de escorpiões e aranhas, também deve haver mais cuidados da população tanto no manuseio de roupas e calçados, como também da limpeza de seus terrenos. “As pessoas devem estar atentas com calçados e roupas e quando vão lidar no jardim devem utilizar luvas para prevenir picadas. Para evitar o aparecimento do escorpião, o que é recomendado é que as pessoas evitem deixar lixo ou restos de comida que vão atrair baratas e outros insetos, que servem de alimentos aos escorpiões. Também não devem deixar acumular entulhos, que servem de criadouros para os escorpiões se reproduzirem”, orientou Mario Arthur Favretto.
Quanto à utilização de veneno, a recomendação é que o uso seja frequente, a fim de garantir a eliminação.

Alguns moradores foram acompanhados pela Vigilância Sanitária em residências da cidade a fim de verificar se havia ou não infestação. “Esse mês tivemos alguns aparecimentos e acompanhamos os moradores em diversas residências a fim de verificar possível proliferação, mas constatamos que apenas em um imóvel o fato estava acontecendo, porque os vizinhos já cuidavam. A gente recomenda que as pessoas matem o escorpião e entreguem à Vigilância Sanitária, para que a gente possa identificar se é uma espécie de interesse sanitário ou não”, esclareceu o fiscal sanitário.

Os escorpiões identificadas em Campos Novos são das espécies bothriurus e tityus costatus, não letais. A picada causa dor intensa, mas não oferece risco de morte. No caso de espécies de interesse sanitário, explicou ainda Mario Favretto, deve ser desencadeado processo de busca ativa e eliminação de criadouros.

O fiscal sanitário ressaltou ainda em que casos a Vigilância Sanitária atua. “As pessoas acham que o órgão público deve passar de casa em casa passando veneno. Mas pela legislação, os moradores é que são responsáveis pelo seu imóvel. Se estiver aparecendo escorpiões na residência e o proprietário não está fazendo nada, pode ser considerado omisso. Ainda conforme as atribuições legais, o que se orienta é o controle mecânico desses animais peçonhentos, ou seja, eliminar os locais que estão servindo de criadouros e que servem de abrigos. As pessoas podem ligar para a Vigilância Sanitária e serem orientadas e no caso de lotes baldios, os proprietários podem ser notificados. Porém, só em casos de infestação ou epidemia, são desencadeadas ações que usam produtos químicos. Primeiro tem que haver a orientação e eliminação de criadouros para posterior uso de produtos químicos, que oferecem riscos às pessoas”, finalizou.

*Reportagem publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1457 de 01 de Dezembro de 2016.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *