Quarta-feira , 18 Setembro 2019
Home / Cotidiano / Acidentes domésticos X férias escolares: atenção redobrada

Acidentes domésticos X férias escolares: atenção redobrada

Comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Campos Novos orienta para evitar acidentes domésticos com crianças.

Tenente Luiz Gustavo Bonatelli

Em época das férias escolares, a tendência é que as crianças fiquem mais tempo em casa e, com isso, aumente o risco de acidentes domésticos, portanto, os cuidados devem ser redobrados. As crianças estão constantemente expostas ao risco de acidentes, seja pela sua própria condição de imaturidade, física e emocional, seja pela falta de uma estrutura mais adaptada à sua idade no ambiente em que convivem.

Os pequenos não têm capacidade para avaliar o perigo, pois qualquer objeto que encontram em casa pode transformar-se em um brinquedo muito interessante. Sobre estes riscos, perigos e também orientações de prevenção e como proceder em caso de alguma ocorrência, nossa reportagem conversou com o Comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Campos Novos, 2º Tenente Luiz Gustavo Bonatelli.

O Celeiro: Comandante, férias escolares chegaram e com os filhos em casa em tempo integral, aumentam cuidados para evitar acidentes domésticos. Quais são os acidentes mais comuns e como evitá-los?

Os acidentes domésticos mais comuns são: intoxicação proveniente de descuidos com os materiais de limpeza e remédios; engasgamento e sufocamento provocados por pequenos objetos, brinquedos, embalagens plásticas e travesseiros; queimaduras decorrentes da falta de atenção com panelas sobre o fogão, afogamentos e outros traumas como quedas da própria altura, de escadas e colisões com o mobiliário. Os tipos de acidentes podem variar conforme a idade da criança e o ambiente em que vive.

O Celeiro: Dicas de dicas de prevenção Tenente Bonatelli.

Seguem dicas e orientações de acordo com a natureza da ocorrência:

Intoxicação:
– Mantenha área de serviço e banheiros sempre fechados;
– Nunca deixe remédios, produtos de limpeza ou plantas venenosas ao alcance de bebês e crianças pequenas, tampouco coloque-os em embalagens de refrigerantes ou de outros alimentos;
– Mantenha produtos de limpeza e outros que ofereçam risco de intoxicação guardados em locais inacessíveis para crianças e nas embalagens originais. Evite o acondicionamento em garrafas PET;
– Não deixe remédios à mostra ou faça o uso na presença de crianças. Evite dizer que remédio “é doce”;
– Jamais deixe bebidas alcoólicas ao alcance de criança;
– Ensine-as a não ingerir qualquer substância, a menos que seja fornecida por um adulto;
– Em caso de intoxicação ligue imediatamente para o 193 ou o Centro de Informações Toxicológicas (0800 643 5252). Tenha o rótulo do produto ingerido em mãos.

Engasgamento e sufocamento:
– Os brinquedos devem ser grandes o suficiente para não serem engolidos, resistentes para não quebrarem e não devem possuir pontas;
– Respeite a indicação de faixa etária do brinquedo ao oferecê-lo à criança;
– Atente para sacos plásticos, fios, cabos e travesseiros fofos que podem provocar asfixia;
– Evite cordões ou gravatas em torno do pescoço da criança;
– Utilize apenas berços certificados e evite deixar objetos com o bebê na hora de dormir.

Queimaduras:
– Evite a presença da criança na cozinha;
– Mantenha panelas com os cabos virados para dentro do fogão. Dê preferência para as bocas de trás e retire os botões de acendimento quando não estiver utilizando o equipamento (se possível);
– Mantenha a criança longe de líquidos quentes;
– Mantenha a criança longe de fósforos, acendedores e todo o tipo de substância inflamável;
– Guarde o ferro de passar em local inacessível para crianças após o uso.

Afogamentos:
– Não deixe o bebê sozinho numa banheira, mesmo com água rasa. Há risco de afogamento;
– Instale rede de proteção no entorno de piscinas;
– Esvazie baldes e bacias após o uso. Guarde-os com a abertura virada para baixo.
– Demais orientações gerais:
– Não deixe o bebê sem assistência numa mesa de troca. Tenha objetos necessários à mão previamente;
– Instale grades ou redes de proteção em janelas/varandas e no acesso a escadas para evitar quedas;
– Nunca deixe o ferro de passar ligado com o fio desenrolado ao alcance de crianças;
– Mantenha-os longe de objetos pequenos ou cortantes (facas, tesouras, chaves de fenda, etc);
– Utilize tapetes antiderrapantes na cozinha e banheiros;
– Sinalize com adesivos coloridos portas de vidro para evitar colisões.

O Celeiro: Banhos de piscina e aqui na região também passeios em locais onde há rios. Neste sentido quais as recomendações?

Recomendações para piscinas ou ambientes domésticos:
– Mantenha portas de áreas de serviço e banheiros fechadas;
– Guarde recipientes como baldes e bacias de cabeça para baixo;
– Instale redes de proteção no entorno de piscinas;
– Evite o uso de boias ou flutuadores, prefira um colete salva-vidas;
– Não mantenha brinquedos próximos à piscina. Isto atrai crianças;
– Jamais deixe uma criança sozinha na piscina;
– Após utilizar a piscina, impeça o acesso ao espaço.

Recomendações para rios:
– Não superestime sua capacidade de nadar. Avalie as consequências de um possível incidente;
– Prefira banhar-se em locais rasos e sem correnteza;
– Se notar que está sendo arrastado por uma corrente, mantenha-se calmo e tente acenar ou gritar por socorro enquanto nada transversalmente à corrente;
– Não tente salvar pessoas vítimas de afogamento sem estar habilitado. Neste caso, lance algum objeto que a ajude a vítima a flutuar e acione guarda-vidas ou a emergência pelo telefone 193;
– Crianças exigem cuidado redobrado. Não as perca de vista;
– Sempre que possível, opte pelo uso do colete salva-vidas ao invés de objetos flutuantes;
– Nunca nade após ingerir bebidas alcoólicas, alimentos ou se estiver passando mal ou com frio;
– Antes de mergulhar, certifique-se da profundidade. Um acidente pode provocar sequelas irreversíveis.

O Celeiro: Cuidados também com bichos peçonhentos devem ser adotados Comandante?

Acidentes com animais venenosos – cobras, aranhas, escorpiões e outros – podem provocar ferimentos e até a morte em casos mais graves. Todos estamos sujeitos a estas situações, especialmente crianças e idosos.

Medidas preventivas:

– Evite o acúmulo de lixo e entulho;
– Mantenha jardins e terrenos baldios limpos;
– Apare o gramado e recolha folhas caídas;
– Coloque lixo em sacos plásticos e feche-o corretamente;
– Vede aberturas da casa que possam facilitar o acesso dos animais, como soleiras de portas e ralos;
– Examine roupas, calçados, toalhas e roupas de cama antes de usá-las;
– Evite andar descalço;
– Use luvas de proteção ao trabalhar com materiais estocados.

O Celeiro: Em viagens crianças devem estar adaptadas às leis de trânsito, sendo transportadas de maneira adequada?

Exatamente. Importante destacar que as leis de trânsito devem ser observadas não só no tocante à maneira adequada de transporte das crianças, mas também nos outros fatores como velocidade máxima permitida, locais de ultrapassem, ingestão de bebidas alcoólicas, entre outros. Além do aspecto legal, deve-se planejar a viagem e realizar uma manutenção prévia do veículo, a fim de evitar surpresas durante o trajeto.

Seguem algumas orientações:
– Acione o travamento de segurança para janelas e portas dos carros;
– Não transporte crianças no colo ou no assento dianteiro;
– Não permita que crianças permaneçam entre os bancos com o carro em movimento;
– Crianças somente no banco de trás. Use cadeirinha e o bebê-conforto conforme a legislação indica;
– Quando a pé às margens ou cruzando estradas, segure sempre as crianças pelas mãos.

*Reportagem Publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1510 de 21 de Dezembro de 2017.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *