Quarta-feira , 18 Setembro 2019
Home / Opinião / Editorial / As emoções de mais um fim de ano

As emoções de mais um fim de ano

O Natal e as festas da virada do ano são para algumas pessoas motivos de muita alegria, momentos agradáveis para serem vividos com a família, amigos e parentes. Um momento de reencontro. Para outros, porém, as festividades de fim de ano não tão prazerosas assim e podem representar momentos de tristeza. A correria desta época sempre é grande, a sensação que o tempo não é suficiente para realizar tudo também é típica deste período.

Sentimentos que se misturam: euforia, entusiasmo, expectativa, ansiedade, irritação, decepção que por vezes dividem o espaço mental e o coração de uma mesma pessoa. O balanço do ano acaba sendo inevitável nesta época com todas as suas frustrações, sucessos, fracassos, perdas, projetos que ficaram no decorrer do caminho são reavaliados, revividos, assim como as alegrias, momentos prazerosos junto a quem se ama.

O Natal nos remete a vivências que foram construídas ao longo da vida, principalmente as que incluem vínculos verdadeiros e consolidados. A data também é propícia para reflexão, reconciliação e perdão. A verdadeira celebração do Natal deve acontecer no nosso coração.

Já o Ano Novo é recebido com festa, no sentido de alegria, felicidade, entusiasmo e esperança de que todos os problemas do ano que termina ficam para trás, com uma expectativa de começar o novo ano zerado. É a esperança que se renova.

Olhando para o novo ano que está chegando, é preciso sim renovar a motivação, colocar nossas metas e projetos em prática dentro de um planejamento e estratégicas possíveis, dando um passo de cada vez. Esse é o exercício principal, não apenas para o novo ciclo que está chegando, mas para toda uma vida.

A todos os nossos leitores, assinantes, anunciantes, os desejos de um Feliz Natal e um Novo Ano repleto de boas vibrações e muitas realizações. São os votos de toda a equipe do Jornal O Celeiro.

Por: Antônia Claudete Martins
Editora Chefe

*Editorial Publicado no jornal “O Celeiro”, Edição 1510 de 21 de Dezembro de 2017.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *