Terça-feira , 17 Setembro 2019
Home / Cultura / Audição Especial de Natal encanta público de Campos Novos

Audição Especial de Natal encanta público de Campos Novos

Com um repertório variado, dos clássicos de Natal ao erudito, os alunos dos cursos acordeom, coral e violino da Fundação Cultural Camponovense, apresentaram à comunidade os resultados obtidos em 2017. A Audição Especial de Natal aconteceu na noite dessa quarta-feira, 06, encantando o público que estava presente no auditório da Casa da Cultura, junto aos professores de música Acácio Antunes e Simão Wolf e os alunos.

“Primeiramente gostaria de agradecer aos alunos, aos pais e ao público que veio nos prestigiar, estamos mostrando um trabalho que teve início em março, com objetivo de fazer não somente com que as pessoas aprendam lições de música, mas também se tornem melhores e trabalhar bem seus valores e bons conceitos nas nossas crianças” destaca o professor de violino Simão Wolf.

O ano foi surpreendente na avaliação dos professores, trabalho que recebe todo o suporte da Administração Municipal e Fundação Cultural, além da grande dedicação dos que participam no projeto de violinos e coro. São 17 violinos e aproximadamente 45 pessoas no coral.

De acordo com o violinista, durante o evento foram apresentados não somente temas natalinos, mas também alguns clássicos da música internacional, embalados ao som do violino. Foram entregues diplomas para os alunos que se dedicaram durante o ano e “passaram de nível”. O público também pode observar que alguns alunos queriam e tiveram o prazer de subir ao palco tocando solo.

Quando questionado sobre as vagas que são oferecidas pela fundação Simão contou com sorriso estampado no rosto que inicialmente foram abertas algumas vagas, para um público limitado de alunos tanto no violino quanto no coral, porém, a demanda foi muito maior. Neste sentido ele conta que tentou trabalhar um pouco além, não somente na área de violino, mas também de canto, que ainda tem algumas vagas.

O maestro conta também um pouco das dificuldades que ele junto com seus alunos encontraram no caminho como, somente metade da turma ter o instrumento próprio. Mas deixa claro que nada impossibilitou nenhum deles de participar. Como o maestro tinha conhecimento que na cidade de Irani tinha um projeto com violinos e acabou encerrando, ele foi até a cidade que prontamente emprestou os instrumentos até que a maioria tivesse o seu.

“Hoje a gente nota isso até com os outros professores, a demanda é muito grande pelas aulas de música. Todos nós nos esforçamos muito, os pais estão tentando trazer os filhos e alguns adultos também vem buscando a música junto a nós”, conta o maestro.

Simão deixou um convite. “No ano que vem estão todos convidados a conhecer e fazer parte das nossas atividades”.

A noite contou também com uma apresentação de acordeom, que tem aulas ministradas pelo professor Acácio Antunes que está na fundação a alguns meses apenas, mas já atua em outras regiões como professor de música e é professor na UNOESC.

“Para mim foi uma honra trabalhar em Campos Novos, a Administração tem apostado fortemente na música. Percebe-se da comunidade o interesse pela música, além de lazer, o aprendizado e a socialização. Qualquer idade pode praticar e a Fundação Cultural faz o papel de oferecer isso” conta o professor.

Subiram ao palco ritmos diferentes dos que estamos acostumados a ouvir do acordeom, geralmente quando escutamos acordeom está relacionado a música tradicional gaúcha e nativista, então os alunos saíram da rotina e tocaram música clássica.

“Temos nosso aluno João Arthur Becker apresentou um solo de acordeom e também apresentamos um arranjo da nona sinfonia de Beethoven a quatro vozes de acordeom, já pensando em futuramente fazer uma orquestra” comenta Acácio.

Hoje no acordeom a Fundação Cultural conta com 30 alunos praticando. Incluindo o aluno João Arthur Becker que assim como os demais alunos, quando estava solo no palco, muitos olhares brilharam, pela dificuldade que o instrumento apresenta e a dificuldade que o aluno tem, é uma pessoa que apresenta vários graus de superação, pois ele é deficiente visual e isso não o impede de realizar as atividades cotidianas como tocar teclado, acordeom e frequentar regularmente a escola.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *