Quarta-feira , 14 Novembro 2018
Home / Agronegócio / Inverno Produtivo

Inverno Produtivo

Culturas de inverno estão apresentando ótimo desenvolvimento na região. Clima tem contribuído para a produção de trigo, cevada e novas culturas. Produtores estão confiantes em safra rentável.

No histórico de plantio das culturas de inverno, especialmente para produção de grãos, a área semeada é cada vez menor. No trigo, assim como na cevada, o alto investimento e a valorização dos produtos, muitas vezes preocupam o produtor, porém, até o momento, a safra 2018 está proporcionando boas expectativas aos agricultores. O clima para produção de trigo e cevada tem ocorrido dentro do esperado, com chuvas bem distribuídas e o produtor, utilizando as altas tecnologias disponíveis, está acreditando em uma safra produtiva e rentável.

Na região de Campos Novos, a área de trigo é uma das menores da história, com 5,5 mil hectares sendo destinada à cultura, mesma área da safra anterior. Já a área de cevada entre os associados da Copercampos tem uma área de 587 hectares, reduzindo pela metade em comparação a safra anterior. Sinônimos de diversificação de atividades, especialmente para produtores que não utilizam as áreas para pecuária, as culturas de inverno representam diluição de custos, com a utilização de máquinas e de mão de obra na propriedade. De acordo com o Engenheiro Agrônomo da Copercampos, Marcelo Luiz Capelari, até o momento, a safra de trigo, que será colhida em novembro e dezembro, está com ótimo desenvolvimento. “Estamos tendo um clima favorável para a produção de cereais de inverno. As chuvas têm ocorrido dentro da média e bem distribuídas. Nossos associados estão realizando o manejo preventivo contra pragas e doenças, então, há muita esperança de uma boa safra de inverno”, ressaltou.

Além do trigo e cevada, a Copercampos dispõe no inverno, de produção de aveia preta para semente, aveia branca para produção sementeira e de grãos destinados a alimentação humana, azevém para sementes, centeio, triticale e trigo duplo propósito. “O triticale e o trigo duplo propósito são novidades para nossa região. Disponibilizamos áreas para produção sementeira de triticale porque acreditamos na cultura e vemos grandes oportunidades de mercado com o cereal que é um pouco mais rústico que o trigo. Já o trigo duplo propósito atende aos pecuaristas, sendo uma cultura interessante para produtores de leite e de gado de corte, pois temos uma variedade muito bem adaptada na região e que demonstra bons ganhos em produção de carne e leite, além de ter a possibilidade de se colher grãos após o pastejo das áreas”, explica Capelari.

Com o trigo duplo propósito, se visualiza um novo cenário para a integração lavoura/pecuária. O produtor associado da Copercampos Célio Dilso Tesser investiu no cereal de inverno para alimentar o gado leiteiro e também multiplicar a semente. Na propriedade, são destinados 26 hectares para o trigo. “Iniciamos no mês de julho o pastejo em uma área de oito hectares com o trigo duplo propósito e nos primeiros dias, já visualizamos um aumento da produção leiteira. Temos 32 vacas em lactação e tínhamos uma média de 23 litros/dia e após destinar os animais a área de trigo, a produção diária subiu para 25 litros/dia de média.

Com o cereal de inverno com ciclo vegetativo mais longo que permite tanto a utilização para a alimentação dos animais através de pasto, feno ou silagem, quanto para a colheita de grãos, o trigo duplo propósito apresenta diferenciais como maior valor nutritivo em relação a outras pastagens de inverno e também maior rusticidade. Na área de trigo, piquetes foram formados para extrair o maior potencial da área destinada ao pastejo. “Formamos piquetes para manejar a área e vemos que a proteína existente no trigo é diferente. Já estamos tendo bons resultados com a cultura, mas é preciso manejar, porque os animais gostam de alimentação nova”, reforçou Célio Tesser.

Segundo Capelari, o trigo duplo propósito é mais uma opção disponível, principalmente para produtores que integram lavoura/pecuária. “Este tipo de trigo tem o ciclo mais longo e pode ser semeado mais cedo do que o trigo para produção exclusiva de cereal. Bem manejado, o trigo duplo propósito garante alimentação de qualidade aos animais, e com os piquetes, temos uma ótima capacidade de rebrote das plantas”, explica. Com a produção sementeira do trigo duplo propósito, a Copercampos estará difundindo a comercialização do cereal destinado a produção de grãos e também alimentação dos animais. O custo para implantação do trigo duplo propósito é similar ao do trigo para produção exclusiva de grãos, porém, mesmo com o pastejo das áreas, é possível produzir grãos com boas produtividades.

*Reportagem publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1544 de 30 de agosto de 2018.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *