Quarta-feira , 14 Novembro 2018
Home / Agronegócio / OCESC comemora 47 anos de conquistas para o cooperativismo de Santa Catarina

OCESC comemora 47 anos de conquistas para o cooperativismo de Santa Catarina

Entidade comemora as conquistas e o histórico de transformação do cooperativismo no estado

Há 47 anos, a Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) surgiu no Estado para transformar a história do cooperativismo. O dia 28 de agosto de 1971 marca o início da atuação da entidade, que passou a representar efetivamente o Sistema Cooperativo Catarinense. Em 2018, a OCESC não apenas comemora o seu aniversário, mas a conquista de um mecanismo legal que abre possibilidade para maior crescimento das

Presidente da Ocesc, Luiz Vicente Suzin

cooperativas no Estado. “A posse dos membros do Conselho Estadual de Cooperativismo – CECOOP, que aconteceu em julho, foi o nosso maior presente neste ano. A partir de agora, Santa Catarina conta com um Conselho que discutirá iniciativas para fortalecer o Sistema, e será a nossa ponte com o Governo do Estado”, comentou Luiz Vicente Suzin, presidente da entidade.

Com 263 cooperativas registradas, a Organização foi a articuladora da criação da Lei nº 16.834, de 16 de dezembro de 2015, que institui a Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo e que prevê a criação do CECOOP, cumprindo com o seu papel de destaque na defesa política do cooperativismo catarinense. Além disso, atua em parceria com o Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), Governo do Estado de Santa Catarina, Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, e entidades públicas federais e estaduais.

Para Suzin, os 47 anos da OCESC demonstram a importância da entidade e sua posição transformadora dentro do Sistema no Estado e no Brasil. “Temos mais de 2,2 milhões de cooperados e mais de 60 mil empregados em cooperativas no Estado, e essa evolução de números, com o passar dos anos, está diretamente ligada ao trabalho da OCESC. A Organização esteve à frente de movimentos de mudança que fizeram a diferença para o crescimento do cooperativismo catarinense. Somos orgulhosos do nosso passado e presente, e temos confiança de que o futuro trará ainda conquistas”, finaliza.

Cooperativas crescem e impulsionam a economia do estado

O cooperativismo catarinense – estruturado no campo e na cidade – continua em ascensão e cresceu 36,54% no quadriênio 2014-2017, mantendo uma média de 9,1% ao ano no período em que a economia brasileira sofreu forte recessão, de acordo com levantamento da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC). A expressão do setor é reconhecida nacionalmente: as 263 cooperativas catarinenses reúnem mais de 2,2 milhões de associados, mantêm 60,5 mil empregos diretos e faturaram R$ 32,6 bilhões de reais no último ano.

Ao apresentar avaliações e projeções, o presidente Luiz Vicente Suzin e o superintendente Neivo Luiz Panho destacaram que, em 2017, o setor investiu na base produtiva, na diversificação de produtos e serviços e na qualificação de colaboradores, dirigentes e associados.

Na avaliação do presidente, “as cooperativas enfrentaram o cenário de dificuldades que surgiu em 2015 e se projetou em 2016 e 2017 com racionalização da gestão, otimização dos processos e elevação do grau de excelência em produtos e serviços. Manter posição no mercado foi a palavra de ordem.”

A receita operacional bruta do setor cooperativista catarinense cresceu 2,67% em 2017 e atingiu R$ 32 bilhões 695,6 milhões de reais. O crescimento ficou abaixo do incremento obtido no ano anterior (15%), mas, mesmo assim, Suzin destacou aspectos positivos do exercício de 2017.

“De regra, não houve redução do quadro funcional (empregados) nem diminuição do quadro social (cooperados) e a receita operacional bruta manteve o mesmo patamar. Há sinais claros que a reversão da crise já iniciou. A retomada do crescimento, entretanto, será lenta e gradual com forte dependência de um componente político: as eleições de 2018. Grande parcela da sociedade deposita nas eleições suas esperanças de estabilização política e econômica do País. As cooperativas intensificam os esforços de qualificação, requalificação e capacitação de dirigentes e colaboradores através do Sescoop para elevar seu nível geral de eficiência, buscando reduzir cada vez mais a eventual dependência de programas e políticas públicas.”

As 51 cooperativas agropecuárias representam 63% do movimento econômico de todo o sistema cooperativista catarinense. No conjunto, essas cooperativas mantêm um quadro social de 71.648 cooperados e um quadro funcional de 39.883 empregados. O faturamento anual do ramo agropecuário totalizou R$ 20 bilhões 078 milhões de reais. O ramo de crédito apresenta o maior número de associados e a segunda posição em movimento econômico. As 61 cooperativas de crédito reúnem 1 milhão 560 mil cooperados, mantêm 8.260 empregados e movimentaram R$ 5 bilhões 384 milhões de reais no último ano. O ramo de saúde, com 30 cooperativas e 11.909 associados, faturou R$ 3 bilhões 600 milhões de reais. O ramo de transporte, formado por 45 cooperativas, teve R$ 1 bilhão 598 milhões de reais de movimento, beneficiando 7.592 cooperados. No ramo de infraestrutura atuam 34 cooperativas de eletrificação rural com 327.817 associados. Em 2017, essas cooperativas faturaram R$ 905,8 milhões de reais.

As 12 sociedades cooperativas que atuam no ramo de consumo com 306.364 associados, faturaram R$ 1 bilhão 087 milhões de reais no ano passado.

*Reportagem publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1545 de 06 de Setembro de 2018.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *