Segunda-feira , 24 Setembro 2018
Home / Educação / Professores de Campos Novos se reúnem para discutir sobre Plano Municipal de Educação

Professores de Campos Novos se reúnem para discutir sobre Plano Municipal de Educação

Reunião durou mais de 3 horas, mas professores saíram satisfeitos

Os professores de Campos Novos se reuniram na noite do dia 7 para realizar Assembleia Geral, onde ficaram, por cerca de três horas, discutindo sobre as sugestões que foram encaminhadas para Secretaria Municipal de Educação. O Sindicato dos Servidores de Campos Novos e o Conselho de Educação estiveram juntos para repensar o Plano Municipal de Educação que contempla também as normativas para cargos e salários. Após essas analises, a secretaria irá encaminhar as propostas para a Câmara dos Vereadores que decidirá se será aprovado ou não, mas ainda não há data definida para a votação no plenário. Sem muitas mudanças, as sugestões apenas deram conta de pequenos detalhes, como alterações de nomes que facilitam o entendimento da classe.

O Sindicato foi convidado para montar uma comissão para analisar as alterações solicitadas que foram feitas no Plano Municipal de Educação e as sugestões parecem ter sido aprovadas pela classe. “Em nenhum momento nós vimos desvantagens para os funcionários públicos de carreira, deu para perceber que agradou a todos”, disse Silmara de Lucca, representante do Sindcampos, que acrescentou dizendo que espera que as alterações sugeridas sejam aprovadas. Algumas dessas alterações são referentes a valorização do profissional de carreira. O sindicato também solicitou que fosse acrescentada o termo “Professor Auxiliar”, e que esse cargo deve ser assumido apenas por profissionais da educação.

Os professores do município compareceram em peso para participar da assembleia. Apesar de as mudanças serem pequenas, elas são significativas para a valorização do professor. A representante do Conselho de Educação, Ana Carla Wolf Lopes, disse que o conselho trabalhou bastante para a conclusão deste trabalho. “Tivemos reuniões cansativas e longas, desde o início do plano foi quase um ano de trabalho, para contribuir com a comunidade”, afirmou. Agora basta esperar a decisão do legislativo para saber se as alterações serão válidas.
Muitos equívocos estavam acontecendo em virtude do termo “Professor Auxiliar”, por isso há necessidade de deixar claro que função ele deverá exercer nas escolas. Na última coletiva dada pela

Secretária de Educação, Evanilda Corrêa, ela explicou que este profissional irá atuar apenas na Educação Infantil, e que este cargo ainda não existe no município. No entanto, esta vaga deverá ser criada através de decreto que está sendo elaborado pelo Poder Executivo, e conforme estabelecido na assembleia dos professores será exigido que este professor auxiliar tenha habilitação na área da educação. Se aprovado na Câmara, as escolas de Campos Novos, a partir de 2019, terão três tipos de professores, os efetivos que entram no magistério através de concurso público, os Act’s que atuam como professores através de processo seletivo em caráter temporário, e o professor auxiliar que deverá ser schamado conforme irá estabelecer o decreto.

Ainda sobre o Ideb

Semana passada saiu o resultado do Índice de Desenvolvimento de Educação Básica, o Ideb. Apesar de não haver um declínio na nota, Campos Novos apareceu com a mesma pontuação do ano de 2015 que foi 5.8. Em comparação com os municípios menores que compõe a região da Amplasc, Campos Novos ficou em penúltimo, lugar, ficando na frente apenas do município de Zortéa.
De acordo com a professora Evanilda Corrêa, este número é resultado do investimento feito na gestão passada, por isso ela não sabe o motivo de Campos Novos não ter crescido alguns números. Mas ela acredita que existem inúmeros fatores que influenciam neste resultado.

“São variáveis sociais, econômicas, financeiras, familiares, e escolares também, ou seja, no sistema de ensino. Essas variáveis dificultam a permanência do aluno a partir do sétimo ano na escola. Esse pensamento é fundamentado na realidade que vivemos dentro das escolas”, reflete. Diante deste cenário, a atual gestão tem o desafio de melhorar, e isso requer muitos investimentos em educação. “Esse desafio está sendo enfrentado com a capacitação de professores, com bom material escolar usado em sala, com professores empenhados, com muito trabalho”, completou.

*Reportagem publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1546 de 13 de Setembro de 2018.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *