Terça-feira , 17 Setembro 2019
Home / Cotidiano / Prorrogada contratação de OS para gerir o Hospital Dr. José Athanásio

Prorrogada contratação de OS para gerir o Hospital Dr. José Athanásio

Prazo para inscrição de entidades será até o dia 19 de dezembro

No mês passado o prefeito Alexandre Zancanaro assinou o decreto que estabelecia a contratação de uma Organização Social ou de uma entidade sem fins lucrativos para gerir o Hospital José Athanázio. Desde então a prefeitura abriu espaço para que as empresas interessadas se inscrevessem até o dia 19 de novembro. No entanto, o procurador-geral do município de Campos Novos, Luiz Paulo Ramos, disse que a baixa procura das empresas para gerir o hospital fez com que a prefeitura prorrogou esse prazo até o dia 17 de dezembro.

“Entendendo dar maior amplitude a essa convocação, ampliar a concorrência, com interesse que mais entidades venham a se credenciar no município, e assim, poder escolher a melhor entre as melhores, o município optou por prorrogar por mais alguns dias esse prazo de credenciamento dessas organizações, dando até o dia 17, para que essas empresas apresentem toda a documentação necessária. Então, prorrogamos a pedido de algumas entidades que não conseguiram apresentar toda a documentação”, diz Luiz Paulo Ramos.

Segundo o procurador entre 6 a 7 empresas apresentaram pedido de qualificação até a data de 19 de novembro. A prefeitura espera que até 20 empresas se cadastrem. Com a prorrogação do prazo de qualificação, o eventual contrato com OS, só deve sair após final de janeiro de 2019. Quanto aos termos do edital de chamada pública para qualificação de OS permanecem os mesmos.
Em coletiva de imprensa realizada também no mês passado, o prefeito disse que será repassado em média o valor de R$ 750 mil que serão utilizados de forma autônoma pela nova gestão que terá a liberdade para contratação e compras. Os funcionários contratados serão de responsabilidade da organização e os servidores efetivos permanecem sobre a responsabilidade da prefeitura, porém descontado do valor do repasse. Ele também garante que a nova gestão não acarretará em prejuízos para os funcionários e nem para a população que precisa de atendimento. “Os atendimentos atuais via SUS, via convênio e particular não serão reduzidos. Os servidores continuarão sendo funcionários da fundação, com o plano de cargos e salários devidos a classe.

O Conselho de Saúde e o Conselho da Fundação Hospitalar serão responsáveis pela fiscalização da organização, que deverá cumprir as metas estabelecidas. A administração municipal e os conselhos acreditam que a gestão compartilhada irá apresentar bons resultados, pois diminuirá as burocracias existentes em órgãos públicos, facilitando as contratações de pessoal e compras de equipamentos. Alguma das metas a serem alcançadas são: Laboratórios de análise clínica, farmácia com protocolo, prontuários eletrônicos, classificação de riscos, dois plantonistas, equipamentos como tomografia.

*Reportagem publicada no Jornal “O Celeiro”, Edição 1557 de 29 de Novembro de 2018.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *