Segunda-feira , 16 Setembro 2019
Home / Saúde / Verão e viagens: o lado ruim da estação mais esperada do ano

Verão e viagens: o lado ruim da estação mais esperada do ano

Junto com o calor vem a vontade de viajar e aproveitar as férias e o calor nas praias e balneários. Mas a estação também traz alguns malefícios que devem ser observados

O verão é uma das estações mais esperadas do ano, é neste período de férias e recesso que as famílias aproveitam para sair da rotina e curtir um lugar diferente. Tudo isso é muito bom, rende fotos e lembranças inesquecíveis. O bronze na pele denuncia que os dias foram regados a muita diversão, principalmente nas praias e balneários, mas alguns dos acontecimentos podem acabar estragando os dias de diversão. As doenças sazonais de verão podem ser os vilões dos dias de paz e descanso. Além dos problemas de pele, como a insolação, o período quente pode provocar diarreia, moleza, vômito e desidratação. É bom estar preparado para enfrentar os possíveis desconfortos que podem acontecer nos dias quentes. Neste período do ano as emergências nos postos de atendimento aumentam em virtude do excessivo calor.

O enfermeiro Kleber Siqueira relata que o atendimento de pessoas apresentando quadro clínico de doenças tropicais redobra consideravelmente nesta época, principalmente entre crianças, idosos, mulheres e gestantes. Kleber explica que geralmente um problema acaba levando a outro e gerando vários sintomas, dependendo da condição física do paciente. Os problemas intestinais se dão devido ao clima quente e úmido que contribui para a proliferação de bactérias nesta época do ano, e a má manipulação dos alimentos provoca as doenças do aparelho digestivo, levando o paciente a ter crises de vômito ou diarreia, e se não houver a ingestão necessária de água o paciente pode se desidratar e ter outras reações como queda de pressão e desmaios. “Na região sul as pessoas estão mais acostumadas com o frio do que com o calor e acabam esquecendo a ingestão de água, e isso leva a desidratação. No calor a gente tende a ter uma vasodilatação e uma queda na pressão. Quem é menos resistente pode ter crise hipotensiva e vir a desmaiar. Em alguns casos o aumento do calor faz com que as pessoas tenham a sensação de muito sono, cansaço e peso corporal”, explica.

Quanto às doenças de pele, muitos acreditam que o risco envolve apenas o câncer de pele, mas não é bem assim, existem os riscos das lesões, hiperpigmentação da pele e as queimaduras solares de primeiro e segundo grau, que causam, além da dor, desidratação da pele. Kleber alerta que não apenas os banhistas correm esse risco, mas todos que se expõem demasiadamente ao sol, como os trabalhadores rurais que não usam proteção solar adequada e nem ingerem água suficiente. Sem a devida hidratação do organismo, é possível que ocorra uma alteração digestiva que também podem causar vomito ou diarreia. “Pouca água e excesso de alimentação leva a uma sobrecarga intestinal, e o organismo expulsa o que é desagradável por meio do o vômito ou a diarreia”, detalha Kleber.

No verão não importa seu roteiro, se viajou ou se ficou na cidade, o alerta sobre a hidratação por dentro e por fora é muito importante para o organismo e para a pele. Por isso é sempre bom lembrar de manusear de forma higiênica os alimentos, tomas bastante água, e usar o protetor solar, além de fazer uso de bonés e sombrinhas para se proteger dos raios solares. E pra aqueles que são fãs incondicionais do bronzeamento podem fazer isso pela manhã ate as 9h30 e das 14h em diante, pois entre as 10h e 13h é o pico de temperatura solar mais prejudicial a pele. Para quem ainda deseja viajar neste último fim de semana de janeiro deve ficar atento as sugestões para não se arrepender depois.

Outra reclamação comum que ouvimos neste período é de pessoas que adoeceram na viagem de férias. Os problemas intestinais são recorrentes nestas aventuras, e muitos concluem que adquiriam uma infecção intestinal, mas nem sempre é. A explicação dada por Kleber é que o organismo sempre reage às mudanças no cardápio. “A mudança de dieta e rotina podem acarretar em uma reação do organismo, e as consequências são bem incômodas. Alguns se deslocam para lugares em que a cultura gastronômica é diferente. Alguns se deslocam para lugares em que a cultura gastronômica é diferente. Essa mudança pode gerar um quadro diarreico de dias, mas nem sempre está relacionado a um quadro de infecção”, afirma. No caso de isso vir a acontecer o principal conselho de Kleber é a hidratação constante por meio da ingestão de muito líquido.

Aqueles que chegaram de férias e passaram por alguns desses apuros precisam se recuperar para voltar as atividades regulares. Mas é essencial uma visita ao médico, pois ele é o profissional mais indicado para tratar nos indicar medicamentos, se este for o caso. E desde já é bom levar a sério o conselho de tomar água para evitar a desidratação, para esta dica não há contraindicação. O mesmo vale para os demais dias do ano.

Segue algumas dicas para os dias de muito calor

– Ter boa higiene, lavar as mãos antes das refeições, e lavar bem os alimentos.
– Uso de vestimentas leves, principalmente em crianças. Uso de óculos de sol e bonés ou sombrinhas para proteger a pele e a visão.
– Uso de protetor solar, mesmo em dias nublados e uso de cremes hidratantes para evitar o ressecamento da pele.
-Tomar bastante água. De preferência da torneira, pois água mineral tem excesso de sódio que contribui para o aumento da pressão e aumenta a chance de formar pedras no rim. Deixe sempre uma garrafa de água por perto.

*Reportagem publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1563 de 31 de Janeiro de 2019.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *