Terça-feira , 23 Julho 2019
Home / Opinião / Editorial / Boas notícias

Boas notícias

Noticias boas. É bom começar o dia logo ouvindo coisas positivas. Esta semana a boa nova divulgada era aguardada por muitos e há bastante tempo: Agora a população camponovense conta com o Programa ‘Remédio em Casa’. Demorou, mas enfim aconteceu. A partir de agosto começarão a serem feitas as entregas dos kits.

No ato oficial de lançamento estava presente uma senhora de 86 anos visivelmente emocionada. Quem ainda é jovem talvez não entenda o motivo da alegria da senhora, mas ela mesma explica: – Era o que estava esperando. Há mais de 30 anos que eu espero por isso. A idade avançada a impede de sair de forma autônoma, e para ter seus remédios ela sempre dependia de alguém, agora a situação mudou.

Este é apenas um caso dentre muitos outros de pessoas que são impossibilitadas de sair de casa. As pessoas do interior também serão muito beneficiadas. Algumas delas ficam dias sem seu remédio porque não há ninguém que possa vir a cidade.

Os cuidadores e familiares dessas pessoas também agradecem, pois alguns trabalham o dia todo e nem sempre podem buscar o remédio no dia certo. Esta provisão traz um ganho para todos. O remédio em casa permitirá a pessoa mais comodidade e conforto. Além desses benefícios, as pessoas que serão contempladas se sentirão mais valorizadas.

Ações pensadas para uma classe minoritária faz a diferença no município. Um tratamento de qualidade que leve em consideração o princípio da equidade tem reflexos além do que podemos imaginar. Impacta as pessoas individualmente e coletivamente. Investir em saúde gera números positivos, promove a saúde, melhora a qualidade de vida e, consequentemente, a longevidade. A quantidade de idosos hoje é uma prova de que o trabalho em saúde tem dado resultados.

A valorização dessas pessoas contribui para sua autoestima e é uma forma de demonstrar o quanto elas são importantes. Pessoas que convivem com limitações, principalmente quando decorridas da idade, tendem a ter sentimentos de inutilidade. Tem sido cada vez mais comum a depressão entre idosos. Dar a eles a atenção e o cuidado devido lhes conferem mais dignidade. Este é um dever de todos, tanto da família quanto do Poder Público.

Além deste serviço, que atenderá principalmente os idosos, o município conta com o curso de cuidador de idoso, oportunidade para aprender o jeito correto para cuidar dos mais velhos. Esta parcela da população precisa ser assistida da melhora forma possível para que vivam mais e com saúde. Eles agradecem.

Por: Priscila Nascimento
Jornalista

*Editorial publicado no jornal “O Celeiro”, Edição 1586 de 11 de Julho de 2019.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *