Sexta-feira , 13 Dezembro 2019
Home / Saúde / Alimentação: Como comer bem e evitar a obesidade?

Alimentação: Como comer bem e evitar a obesidade?

Crianças e adultos têm enfrentado o desafio de manter uma vida saudável. Alimentação e bons hábitos são um dos segredos para boa saúde.

Comer é mais que uma necessidade, é um grande prazer. Para alguns, além de tudo, comer pode ser um passatempo e uma válvula de escape para o estrese, nervosismo e ansiedade. Comer faz muito bem, mas é precisa cuidar da qualidade e da quantidade de alimentamos que ingerimos. Mas, como tudo na vida, não dá pra fugir das consequências de nossas ações, e se não comermos bem, vamos ter que lidar com os resultados que serão refletidos na saúde. Um dos principais resultados é a obesidade, fato que desencadeia ainda outros problemas mais sérios. A obesidade causa incomodo não apenas pelo aumento de peso, mas pelas doenças que podem surgir. A obesidade traz várias doenças associadas, como diabetes, pressão alta, doenças cardiovasculares e aumento do colesterol e triglicérides. Ter uma boa alimentação é ainda mais difícil quando somos rodeados pela indústria alimentícia com produtos saborosos, mas de baixo valor nutricional.

Fabiana Delay Silva

A situação é muito preocupante, pois atualmente a obesidade tem afetado, não apenas os adultos, mas também as crianças. Hoje é possível encontrar crianças na faixa de 2 a 3 anos com taxas de colesterol e triglicerídeos bem elevados, fato que não era comum. Com base em dados do Ministério de Saúde três entre cada dez crianças atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) estão acima do peso. Dados do IBGE constatam que 15% das crianças com idade de 5 a 9 anos tem obesidade. Para tentar combater este problema, recentemente o MS lançou um Guia Alimentar para Crianças Menores de 2 anos. Pais de plantão devem estar atentos a alimentação e ao exemplo que dão aos filhos.

A nutricionista Fabiana Delay Silva, alerta sobre os cuidados que os pais devem tomar para ensinar bons hábitos para os filhos. “A obesidade é um problema de saúde pública, tanto na infância, na adolescência e vida adulta. Os pais ensinam as práticas alimentares aos filhos e eles vão levar isso par ao resto da vida. Alguns pais não dão alimentos saudáveis e oferecem o que é mais prático. Na infância ocorre uma taxa significativa de desenvolvimento físico e cognitivo e as crianças precisam de alimentos naturais e com nutrientes para sua formação. Nesse momento elas precisam desenvolver o paladar e experimentar frutas, legumes, verduras, cereais, lácteos e carnes antes de conhecer as guloseimas e fastfoods”, alertou, lembrando também que os pais devem dar um bom exemplo no que diz respeito a alimentação.

Outra situação pelas quais estão favorecendo a obesidade nas crianças é o sedentarismo infantil. Antes as crianças brincavam de forma mais ativa, em parques, correndo, andando de bicicleta e se movimentando mais. Hoje os pais distraem os filhos com eletrônicos, como vídeo games, celular, tabletes. Muita coisa mudou. As crianças já estão aprendendo a ter uma vida acomodada e, além de não se alimentarem bem, não se exercitam nem mesmo ao se divertir.

Na fase adulta a situação piora, já que grande parte deles se alimentam mal de forma consciente. O Brasil esta lista como 5° pais do mundo com mais obesos. Este número é suficiente para caracterizar uma epidemia. A falta de tempo e correria do dia a dia, é uma das principais justificativas para a má alimentação e sedentarismo. Mas Fabiana alerta que é preciso se conscientizar e criar bons hábitos. “O organismo tem que criar uma rotina. Manter uma alimentação equilibrada inclui comer todos os grupos alimentares: proteínas, lipídios bons, carboidratos bons e a redução de açúcar. É preciso incluir frutas, legumes e verduras. Eu oriento as pessoas a comer as frutas da época que tem custo menor e alto valor nutritivo. Fazer as refeições de acordo com a necessidade do organismo. Não precisa comer em grandes quantidades, coma pouco e de três em três horas. Coma pouco e várias vezes ao dia”, recomendou.

Como a maioria das pessoas sabe sobre os riscos da obesidade, o melhor é lutar contra ela pelo meio da prevenção. A nutricionista lista ações que que contribuem para uma boa alimentação.

Passos para uma alimentação saudável

• Fazer de alimentos In Natura ou minimamente processados a base de alimentação.
• Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos.
• Limitar o consumo de alimentos processados e evitar o consumo de alimentos ultra processados
• Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos In Natura e minimamente processados.
• Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias.
• Planejar o uso do tempo para dar a alimentação o espaço que ela merece.
• Comer com regularidade e atenção e em ambientes apropriados.
• Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora.
• Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais.

O que são alimentos In Natura?

São alimentos obtidos diretamente da natureza, provenientes de plantas e animais, tais como grãos, tubérculos, frutas, hortaliças, carne, leite e ovos. Quando eles passam por mínimas alterações (limpeza, empacotamento, secagem, moagem, congelamento) eles se tornam minimamente processados.

Alimentos Processados?

São produtos relativamente simples fabricados com adição de sal ou açúcar ou outra substancia como conservas, queijos e pães.

Alimentos Ultraprocessados

São produtos fabricados como pouco ou nenhum alimento In Natura, mas que levam muitos ingredientes de uso industrial, como biscoitos recheados, salgadinhos de pacote, refrigerantes e macarrão instantâneo.

*Reportagem publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1605 de 21 de Novembro de 2019.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *