Sábado , 25 Janeiro 2020
Home / Agronegócio / Vargem levanta perdas para decretar Situação de Emergência devido à estiagem

Vargem levanta perdas para decretar Situação de Emergência devido à estiagem

A prefeitura de Vargem faz levantamento de perdas em relação à estiagem para decretar Situação de Emergência no município.

O decreto será publicado ainda nesta semana.

A estiagem vem afetando drasticamente a produção agropecuária no município. As perdas serão consideráveis, informou o prefeito em exercício, Santelmo Rodrigues da Silva.

Santelmo pede à população vargense que economize água até a situação se normalizar. “A prefeitura esta fazendo este levantamento, através da Epagri e da Secretaria de Agricultura, tivemos um período na região de falta de chuva e isso afetou a nossa agricultura”. comentou Santelmo.

O Vice-prefeito comenta que a perca não será pequena e atingirá todos os setores, além disso pede que a população colabore com a economia.

Obras da usina retornam em Vargem

A população de Vargem teve uma boa notícia neste início de ano que foi o anúncio da retomada das Obras da Usina São Roque em Vargem. A usina é uma das maiores hidrelétricas em construção no Sul do Brasil entre as regiões Planalto Sul e Serra Catarinense e terá capacidade de geração de 141 MW. A Nova Participações (ex-Engevix), que detém a concessão e vinha fazendo a usina, informa que a saída é um aporte de aproximadamente US$ 90 milhões (R$ 372 milhões) que está sendo negociado por meio do banco norueguês Arctic.

O crédito a ser obtido vem após a celebração de acordo de leniência com o governo federal no valor de R$ 516 milhões, firmado em novembro do ano passado. Com 80% das obras já feitas, a usina está parada desde que a Engevix passou a ser investigada na Operação Lava Jato.

A usina foi orçada em R$ 800 milhões, já foram investidos R$ 500 milhões e faltam R$ 300 milhões. A construção começou em 2011 e deveria ter sido inaugurada em 2016, mas está para ser finalizada.

Segundo a Nova Participações, a volta das obras no Rio Canoas vai abrir 1 mil postos de trabalho diretos e, quando estiver em operação, a hidrelétrica vai gerar royalties de aproximadamente R$ 4 milhões anuais para o governo catarinense e aos municípios onde está instalada a usina: São José do Cerrito, Vargem, Brunópolis, Curitibanos e Frei Rogério. A conclusão do projeto permitirá também gerar as receitas para pagar o financiamento da obra, que contou com recursos do BNDES e do BRDE. Um leilão de energia, o A-5 de outubro do ano passado.

A prefeita de Vargem se manifestou na imprensa sobre o anúncio do aporte de recursos para retomar a conclusão da Usina, iniciada em 2011 que tinha previsão para ser inaugurada em 2016. Com 80% das obras já executadas, a usina orçada em R$ 800 milhões está paralisada desde que a Engevix passou a ser investigada na Operação Lava Jato as obras serão retomadas até o final de fevereiro.

Milena ressalta como positiva para toda a região, a oferta de aproximadamente mil empregos diretos a ser gerada com a retomada das obras e diz que a prefeitura irá se preparar para a chegada de trabalhadores, pois aumentará a demanda por serviços públicos na cidade. A Nova Participações informa que deverá ter um aporte de aproximadamente US$ 90 milhões, ou R$ 372 milhões,  que está sendo negociado por meio de um banco norueguês, para retomada das obras.

Com a operação da usina, os royalties serão de aproximadamente R$ 4 milhões anuais para o governo catarinense e para os municípios de São José do Cerrito, Vargem, Brunópolis, Curitibanos e Frei Rogério.

*Informações: Rádio Cultura

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *